Arquivo mensal: abril 2014

Video -documentario: ” A dança oriental e seu Ressurgimento na Sociedade Moderna”

Padrão

Um dos unicos videos -documentarios sobre a Dança Oriental , seus beneficios e suas implicações na vida das praticantes, produzido em 1999 na PUC Campinas, como conclusão do curso de Jornalismo de Eliana Mônaco

O video-documentario acima é pioneiro e um dos unicos a abordar a dança Oriental sob diversos prismas e implicações na vida das praticantes. Foi produzido na Puc Campinas em 1999, como TCC (Trabalho de Conclusão de Curso) , em Jornalismo, pela professora e dançarina Eliana Mônaco (Elly Mônaco). O video pretendeu dar uma resposta à expansão que houve na dança oriental desde a decada de 50 , 60, quando a dança oriental foi inserida nos filmes de Hollywood e também a divulgação pela midia da época pela personagem Feiticeira da televisão, e o grupo é o Tchan, onde a dança oriental carregava o estigma da sensualidade, retirando-a das suas culturas e tradições. Há também o depoimento de várias alunas e participação especial de Lucy Penna (autora de Dance e Recrie o Mundo), Regina Mulller (prof de antropologia da dança na Unicamp), da ginecologista Sandra Cosentino, de Artur Belelenzani , prof de fisioterapia da Puc Campinas e Vera Furlan, Psicoterapeuta Transpessoal, dando seu ponto de vista sobe o ressurgimento da dança oriental na sociedade contemporanea como contraponto cultural à banalização da nossa sensualidade e sexualidade imposta pela midia.

Anúncios

Blog dedicado à dança oriental por Elly Mônaco

Padrão

“A alma da dançarina habita todo o seu corpo”

 

2

 

 “Um dia, veio à corte do Príncipe de Birkasha, uma dançarina e seus músicos. …e ela foi aceita na corte…e ela dançou a música da flauta, da cítara e do alaúde.

Ela dançou a dança das chamas e do fogo, a dança das espadas e das lanças; e ela dançou a dança das flores ao vento.

Ao terminar, virou-se para o príncipe e fez uma reverência. Ele então, pediu-lhe que viesse mais perto e perguntou-lhe: ‘Linda mulher, filha da graça e do encantamento, de onde vem tua arte e como é que comandas todos os elementos em seus ritmos e versos?

A dançarina aproximou-se, e curvando-se diante do príncipe disse: Majestade, respostas eu não tenho às vossas perguntas. Somente isso eu sei: a alma do filósofo vive em sua cabeça, a alma do poeta vive em seu coração, a alma do cantor vive em sua garganta, mas a alma da dançarina habita em todo o seu corpo.”

Extraído do livro “O Viajante” de Khalil Gibran